Cronologia do Automóvel História do Automóvel

Print Friendly, PDF & Email

A história do automóvel reflete o nascimento e evolução do automóvel, uma grande invenção tecnológica que mudou significativamente as sociedades em muitos países durante o século XX. Originou-se no século XIX durante a Revolução Industrial, quando a técnica deu orgulho ao motor a vapor como fonte de energia, e depois virou-se maciçamente para o petróleo e para o motor de explosão, com o motor elétrico como um concorrente há muito negligenciado.

O projeto de propulsão interna de Da Vinci.

O automóvel tem-se afirmado gradualmente nos países desenvolvidos como o principal meio de transporte para a circulação de indivíduos e mercadorias. A sua indústria tem sido um dos sectores mais importantes e influentes desde o início do século XX e o seu crescimento global tem sido espetacular: 250.000 automóveis foram contados em 1907 e 500.000 em 1914 com o aparecimento do Ford T, 50 milhões antes da Segunda Guerra Mundial. A frota triplicou durante os Trinta Gloriosos e atingiu 300 milhões de veículos em 1975. Em 2011, a produção automóvel anual global teria atingido 76 milhões de unidades.

Fim de Século XVI-inícios Século XVII

  • 1668 – Ferdinand Verbiest fabrica um veículo a motor, considerado mais como um brinquedo, que consiste de uma chaleira fixada em um pequeno forno e equipado com uma roda de pás, engrenagens e pequenas rodas.

Fim de Século XVII- inícios Século XVIII

  • 1769 – Joseph Cugnot apresenta o seu “fardier vapor”, um carrinho onde ele montou uma caldeira a vapor. Ele chegou a 4 km/h e tem uma autonomia de 15 minutos.

Fim de Século XVIII- inícios Século XIX

  • 1801 – LEBON: Inflamação de uma mistura combustível.
  • 1805 – Oliver Evans desenvolve “Oruktor amphibolos”, veículos a motor
    anfíbios para a cidade de Filadélfia.
  • 1825 – Invenção do Eletromagneto, por William Sturgeon.
  • 1831 – Faraday descobriu a indução eletromagnética.
  • 1832 – AMPERE: Primeiro magneto elétrico.
  • 1851 – Heinrich Daniel RHUMKORFF: Bobine a indução e vibrador para produzir a elevada tensão.
  • 1853 – FIZEAU: Contactos protegidos por condensador.
  • 1856 – 1862 HUGON (F), motor 2 tempos, ignição por bocal a de gás (Transferência de chama); Patente do 11.09.
  • 1858 – Construção de motores fixos.
  • 1860 – Étienne Lenoir patenteia o primeiro motor de combustão interna 2-tempos “a ar dilatado. Fabrica 400 motores deste tipo 1862 – Alphonse Beau de Rochas patenteia um motor a ciclo termodinâmico de motores 4-tempos: admissão, compressão, explosão, exaustão.
  • 1872 – Nikolaus Otto, Eugen Langen e Gottlieb Daimler fundaram a « Gasmotoren Fabrik Deutz AG ».
  • 1873 – Primeiro carro de 12 lugares, conhecido como “o obediente”, que realmente funciona. Desenhado por Amédée Bollée pai, ela é acionada por um motor a vapor e atinge uma velocidade máxima de 40 km/h.
  • 1878 – Amédée Bollée pai comercializa o primeiro carro fabricado em série chamado “a Mancelle”, ele também é acionado por um motor a vapor.
  • 1878 – SIEMENS: Magneto a rotor.
  • 1880 – 1884 Edouard DELAMARE- DEBOUTEVILLE: Conceção e realização de motores monocilíndricos 4 tempos alimentados a gás seguidamente a gasolina ligeira de petróleo (Desenvolvimento do motor moderno a 4 tempos e ignição elétrica).
  • 1881 – Amédée Bollée pai comercializa o primeiro carro a chegar a 60 km/h. Conhecido como “o rápido”, ele também é acionado por um motor de vapor.
  • 1882 – De Dion e Bouton fabricam os seus primeiros automóveis a vapor.
  • 1883 – Primeiro automóvel conduzido por um gás de combustão interna motor 4 tempos. Étienne Lenoir alcança o primeiro motor de 4-tempos baseado no princípio de Beau de Rochas e instala-o num automóvel que percorre 18 km de Paris a Joinville em três horas.
  • 1883 – DAIMLER: Motor a gás vertical fixo 4 tempos a queimador.
  • 1884 – Primeiro automóvel movido por um motor a petróleo de 4-tempos patenteado por Édouard Delamare-Deboutteville e Léon Malandin.
  • 1884 – Triciclo de BUTLER: Motor 2 cil 2 tempos 422 cm3 (57×207), 100 tr/mn, 20 km/h; Ignição por pilha-bobine (Faísca entre contacto e pistão).
  • 1885 – 1902 Queimador.
  • 1886 – ROBERT BOSCH (RFA); Primeira agência comercial em Paris em 1899, seguidamente atelier de fabrico de magnetos em 1903.
  • 1887 – Magneto baixa tensão para ignição dos motores construídos por Robert BOSCH; adoptado por Daimler-Benz e Merecedes em 1897, (10.000 magnetos construídos em 1901); representação na Inglaterra, França e Bélgica; 2.000.000 de magnetos produzidos em 1914 (88% no estrangeiro), 4.000.000 em 1929.
  • 1888 – Dunlop inventou os modernos pneus infláveis.
  • 1889 – Panhard et Levassor instalar um motor a quatro tempos em um carro de quatro lugares.
  • 1890 – Primeiro magneto Alta Tensão de BOUDEVILLE (França).
  • 1894 – De Dion-Bouton venceu a corrida Paris-Rouen 22 de julho com um tractor rodoviário acoplado a um carro.
  • 1895 — A Fundação de Automobile Club de France.
  • 1895 – 1905 Ruptor (Bobine vibrador).
  • 1895 – Triciclos fabrico em serie de Dion-Bouton a gasolina.
  • 1895 – 1905 Ruptor (Bobine vibrador).
  • 1895 – DE DION-BOUTON: Motor a desencadeamento mecânico da ignição (À origem dos distribuidores a ruptor). Magneto a faíscas diretas de BOUTTEVILLE.
  • 1896 Sociedade suíça Zürcher-Luthi (ZL, Neufchâtel); fabrico de motores e de velas de ignições; automóveis ZEDEL em 1904.
  • 1896 – Sociedade suíça Zürcher-Luthi (ZL, Neufchâtel); fabrico de motores e de velas de ignições; automóveis ZEDEL em 1904.
  • 1897 – DAIMLER-BENZ adota o magneto baixa tensão NMZ BOSCH.
  • 1898 – Louis Renault (industrial) Louis Renault]] constroi apenas seu primeiro carro em Boulogne-Billancourt.
  • 1898 – Avanço automático WINTON.
  • 1898 – Primeiro salon do automóvel no Parque de Tuileries em Paris
  • 1899 – Sr. EYQUEM, fabricante de acessórios para o automóvel (iluminação e escovas limpa vidros), começa o fabrico de velas de ignição.
  • 1899 – Introdução 10 de março do certificado de competência válida para a condução de veículos a motor.
  • 1899 – O belga Camille Jenatzy excede o primeiro a 100 km/h na “Jammais Contente”, um veículo elétrico em forma de uma concha.
  • 1900 – Primeira edição do automóvel Coupe Gordon Bennett até 1905 será um evento de automobilismo emergentes.
  • 1900 – De Dion-Bouton é o maior fabricante de automóveis do mundo,
    com 400 automóveis e motores de 3 200.
  • 1900 – Primeiro Congresso Internacional do automóvel.
  • 1900 – Magneto THT (Muito Alta Tensão) a ignição de BOUDEVILLE. Magneto SIEMENS-BOSCH a induzido rotativo.

Fim de Século XIX- inícios Século XX

  • 1901 – Apresentação do primeiro automóvel de série americana: o Oldsmobile curvo Dash.
  • 1901 – Vela desmontável CAMPEÃO a 4 elétrodos de massa.
  • 1902 – Magneto elevada tensão HMZ BOSCH construída por Gottlob Honold.
  • 1902 – Travões a disco patenteados por F.W. Lanschester (G. – B.).
  • 1903 – Travão sobre rodas dianteiras (VAN HOOYDONK)
  • 1903 – Primeiro motor OHV instalado sobre o Buick.
  • 1903 – Léon Serpollet é a condução de um automóvel vapor para 120,8 km / h.
  • 1903 – 1906 – Construção do primeiro carro a óleo de Henry Ford: Ford modelo A.
  • 1904 – 1930 Magneto.
  • 1904 – Primeiro automóvel a petróleo guarnecido de travões (a ar comprimido) sobre as 4 rodas (automóvel Charley sobre chassis Mercedes).
  • 1904 – 1946 Velas BOSCH, EYQUEM, SEV MARCHAL, RENAULT na Europa; CHAMPION e AC DELCO nos EUA.
  • 1904 – Pierre BOSSU realiza uma dínamo que assegura o arranque, a iluminação e a ignição. Ignição mista por magneto e vela sobre RENAULT 20 CAVALOS-FORÇA; no caso de avaria, um dispositivo de socorro utiliza pilhas e bobines a vibrador sobre os mesmos fios.
  • 1908 – Henry Ford à frente da Ford Motor Company lançou o Ford T. considerada-se ser o primeiro carro acessível ao maior número. O primeiro verdadeiro automóvel fabricado em larga escala (Fordismo).
  • 1909 Motor WELCH 6 cilindros 75 CV a dupla ignição.1910 – Sistema centrífugo: Correção do ponto de avanço em relação ao P.M.S. em função do regime a motor.

De 1910 a 1940

  • 1910 – Patente do travão hidráulico (WEIGHT)
  • 1910 – Barney Oldfield acima 210 km/h no seu Blitzen Benz.
  • 1912 – Travão de mão sobre Isetta Fraschini.
  • 1913 – Início da produção em série Ford t em Higland Park.
  • 1913 – Estudo da dupla ignição por ALFA ROMEO.
  • 1913 – Ignição por bateria e bobine a indução DELCOREMY (Dayton Engenharia Laboratories Company, DELCo, EUA, Ohio. Retoma do método Lenoir.
  • 1914 – Primeiro Volante magnético (Magneto no volante motor).
  • 1914 – Requisição de todos os táxis paris para participação na primeira batalha da Marne. Táxis são agora conhecidos como “os táxis da Marne”.
  • 1915 – Isolação em mica sobre as velas CHAMPION (Irmãos Jeffery). Regresso da ignição por bateria (Equipamento dos veículos com baterias de acumuladores por DELCO da Dayton Engenharia Laboratories Company).
  • 1916 – Conjunto gerador magneto-alternador-retificador PARIS-RHÔNE: utilização de uma válvula eletrolítica (antepassado do díodo retificador).
  • 1917 – Fundação da empresa Lincoln (automóveis) Lincoln]] por Henry M. Leland.
  • 1917 – Vela EYQUEM sobre tanque RENAULT.
  • 1919 – HISPANO SUIZA H6 32 CV: 6 cilindros, 6595 cm3, 125 ch a 2800 tr/mn; Motor derivado de um motor de avião, dupla ignição (2 velas/cil).
  • 1919 – Primeiro travão a comando hidráulico: Lockheed.
  • 1919 – André Citroën introduziu a produção em massa em França, cerca de 100 carros por dia.
  • 1920 – 1992 Isqueiro.
  • 1920 – Ignição por bateria BOSCH. Ignição à quitação capacitiva. Ignição de alta frequência.
  • 1921 – Depósito da patente servo-freio por Renault
  • 1922 – Nascença da carta de condução, que substitui o certificado de capacidade válido para a condução dos veículos.
  • 1923 – DUCELLIER compra o fabricante de magnetos suíço ZÉNITE.
  • 1923 – Chegada a Tombuctu das Citroën semi-lagartas (Citroën Kegresse) após a travessia do deserto do Saará.
  • 1923 – A 1ª edição do Le Mans 24 Horas é ganha por um Chenard e Walcker Sport 3L I4
  • 1924 – As sociedades SEV (1912) e Marchal (1923) associam-se para formar SEV MARCHAL. CITROEN adopta a ignição DELCO globalmente.
  • 1925 – Ignição a lâmpada a 3 eléctrodos por Joseph Béthenod (BOSCH).
  • 1926 – Os travões a tambores Adoção universal após 1926
  • 1929 – Crash da bolsa, o “.”Quinta-feira negra “, leva o mundo para uma recessão profunda. A produção de automóveis está em queda livre.
  • 1930 – Início da expedição em semi-lagarta Citroen, cruzeiro amarelo, suposta percorrer 30 000 km entre Beirute e Pequim.
  • 1931 – Invenção do anti-roubo neiman  por Abram Neiman.
  • 1932 – CHAMPION: nova vela, forma única do seu isolador. ” Velas KLG, montem-as, esqueçam-as! “. KLG K1, para qualquer automóvel normal, opõe-se ao calor e à carbonização, uso 8 à 10 vezes mais longo que qualquer outra vela.
  • 1933-1934 – André Lefèbvre propõe o conceito de tração dianteira a Louis Renault, que recusa. André Citroen aceitou-o e desenvolveu-o com a Citroen Traction Avant.
  • 1936 Sistema de avanço a depressão BOSCH.
  • 1934 – O Chrysler Airflow é o primeiro automóvel de massa receber um design aerodinâmico, inscrevendo-se no curso de pensamento estilo (Streamline moderne).
  • 1936 – Sistema de avanço a depressão BOSCH.
  • 1938 – Dispositivo de avanço sob volante Speed do Estabelicimentoss P. BRISSONET.
  • Vela CHAMPION a isolador silimanite, selagem especial que permite as dilatações desiguais do isolador e do elétrodo central.
  • Bobine de ignição FERRIX.
  • Vela GERGOVIA, ” a vela que dura”.
  • Vela esteatite, elétrodos normais ou platina iridiado e vela mica a elétrodos normais ou platina, montagem diatérmica.
  • Vela KLG L 39: ” pode-se imitar a sua aparência, não se pode copiar a sua qualidade, a melhor vela do mundo”.
  • Vela MARCHAL.
  • Vela PINGEOT a elétrodo de platina iridiado e isolador mica.
  • Magnetos RB.
  • 1942 – Teste de estrada com o primeiro protótipo da Renault 4CV.
  • 1945 – aumento da produção do mundo automóvel que tripla durante as Trinta Gloriosas e passa de 10 milhões para 30 milhões de carros.
  • 1946 – 10 000 primeiro Fusca baseia-se na Alemanha.
  • 1949 – Ferrari 166 MM, competição automóvel, ganha as 24 horas de le Mans como Ferrari 166 S se torna a primeira Ferrari do turismo, produzido nas fábricas de Maranello.
  • 1949 – Porsche 356 Porsche é o international motor show de Genebra.
  • 1953 – Aparecimento do travão a disco (lançado em série sobre o DS 19 CITROEN em 1955).
  • 1954 – Utilização dos semicondutores; Ignição com bateria de acumuladores ou volante magnético (NOVI-PB).
  • 1953 – O Chevrolet Corvette é considerado o primeiro carro esportivo americano.
  • 1954 – O Mercedes 300 SL, que inova com a ‘borboleta’, abrindo suas portas, deslumbra lounge em Nova York e tornou-se emblemática da década de 1950.
  • 1954 – Utilização dos semicondutores; Ignição com bateria de acumuladores ou volante magnético (NOVI-PB).
  • 1955 – Primeira patente para ignição electrónica NOVI, montada sobre Motobécane.
  • 1956 – Nacionalisacao pelo general Nasser, subir os preços de combustível.
  • 1957 – Obrigação legal de cabos de ignição anti-parasitados.
  • 1960 – Ignição eletrónica BOSCH, sobre os automóveis de corrida: ignição transistorizada (TSZ), descarga de condensador (HKZ). Cabos de ignição BOUGICORD (Electricfil): aprovação da ORTF, (Organismo Radio Televisão Francesa: não provoca parasitas nos recetores de televisão) homologado por Citroen, Panhard, Peugeot e Renault, Simca.
  • 1962 – Primeiro mid instalado sobre o René Bonnet Djet.
  • 1962 – Vela AC Fire Ring a elétrodo central canelado para facilitar a erupção da  faísca. Gerador de impulsos DELCOREMY. Ignição a  desencadeamento ótico DUCELLIER (fotodiodo, lâmpada naveta 12 V-7 W e tambor furado, oscilador 12/220 V, condensador, díodo de descarga Thyratron e de bobine especial, amplificador a 2 andares.
  • 1963 – Lançamento da marca de velas AUTOLITE de Ford Inglaterra (produção anual projetada a 2.000.000 exemplares). Vela BOSCH a elétrodos de platina montada sobre MERCEDES 220 SEb e 300 SE (05). Ignição por bateria sem distribuidor sobre PANHARD DB 2 cilindros (Competicão): ignição a duas velas ´ por cilindro, bobines independentes comandados por interruptores distintos. Ignição eletrónica PRESTOLITE Transigniter 201: dispositivo só um transístor, circuito de assistência tomando em carga o comando em potência, ruptor clássico (fraca corrente não selfica). Osciloscópio SOURIAU 1131 e 1132, captor de pinça e de sonda H.T (Alta Tensão).
  • 1964 Vela BOSCH Platina.
  • 1964 – Vela BOSCH Platina.
  • 1965 – SIMCA o Brasil é o primeiro construtor que monta uma ignição transistorisada sobre a totalidade da sua produção.
  • 1967 – Ignição sem contacto LUCAS Opus sobre o automóvel de Jack Brabham: Oscillating Pick-Up System (sistema a pick-up oscilante), ignição sem contacto que pode produzir até à 600 faíscas por segundo (18.000 tr/mn sobre um motor 4 cilindros).
  • 1970 – Bobine seca DELCOREMY Inductron, primeira bobine de ignição compacta de alto rendimento. Fabrico de distribuidores PARIS-RHÔNE, sob a presidência de Pierre Cibié (aproximação de Paris-Rhône e Cibié).
  • 1972 – Ignição eletrónica CHRYSLER Internacional: Equipamento de toda a produção CHRYSLER EUA incluindo os camiões. Ignição transístorisada DUCELLIER: sistema Dwell Incorporar, adaptável à maior parte dos veículos correntes. Ignição eletrónica DUCELLIER para Matra Simca Desporto Proto 670 (V12 3l, 10.500 tr/mn) ou F1 (11.800 tr/mn): só uma bobine, comando eletrónico, recarrega da bobine logo que a sua energia não permita mais de manter a faísca precedente (Sistema Dwell Incorporado). Limitador de regime eletrónico DUCELLIER sobre Matra Simca Desporto Proto 670 ou F1: regulação a elevada precisão + 20 tr/mn, por supressão de certo número de faíscas, de maneira errática (não afetando por conseguinte sempre os mesmos cilindros), restituição com um atraso da ordem de 300 tr/mn.
  • 1973 – O primeiro choque do petróleo perturba o automóvel.
  • 1973 – Invenção do ABS por Bosch.
  • 1974 – O Volkswagen Golf, desenhado por Italdesign,, é um sucesso por suas formas “atraente e funcional”.
  • 1974 – Vela CHAMPION a sede cónica sem junta sobre Peugeot 104.
  • 1975 – Avanço a ignição ” eletrónico”. Ignição a efeito Hall (BOSCH TSZ-h).
  • 1976 – HONDA 400 N.
  • 1978 – Ignição transistorisado híbrido. Criação de RENIX (Renault- Bendix); abertura do sítio de produção RENIX em Toulouse (França) em 1979, seguidamente Boussens em 1983 e Foix em 1985. Ignição-injeção eletrónica de NOVI, montado sobre Motobécane.
  • 1979 – Distribuição “electrónica” Controlo de ignição digital (MOTRONIC).
  • 1979 – O sector automóvel está novamente em crise na sequência do segundo choque petrolífero.
  • 1980 – Ignição RENIX completa no RENAULT 20 TS. RENIX para RENAULT 18 Turbo: Escraviza o avanço da ignição a um detetor de ruido.
  • 1982 – Ignição electrónica completa (RENIX, AEI, BOSCH VZ). Ignição por infravermelhos Lumenition no Ralt F3, sensor na parte da frente do motor. IGNIÇÕES SEV MARCHAL Medoc e Brandy (Módulo transistorizado Medoc juntamente com uma bobina cognac de alto desempenho).
  • 1985 – Renix passa a ser BENDIX ELECTRONICS (1985-1988); SIEMENS BENDIX AUTOMOTIVE ELECTRONICS EM 1988. Ignição completa SAAB MECEL.
  • 1989 Criação da SIEMENS AUTOMOTIVE SA.

Fim do século XX – Início do Século XXI

  • 1990 – Ignição electrónica BOSCH EZ 115K no Peugeot 505.
  • 1990 – Apresentação do primeiro sistema de navegação GPS embarcado.
  • 1991 – Gestão completa do motor com ignição direta (12 bobinas) no AUDI Avus Quattro (W12 6000 cm3, 509 cv).
  • 1991 Gestão completa do motor com ignição direta (12 bobinas) no AUDI Avus Quattro (W12 6000 cm3, 509 cv).
  • 1993 – Vela BERU de 1993 com faísca escorregadia. Gestão de tração integral/injeção MERCEDES HFM desenvolvido para a nova gama C (ignição estática 3 bobinas, uma para 2 cilindros).
  • 1997-2000 – Primeiros carros elétricos híbridos, com o Toyota Prius como embaixador.
  • 2000 – A partir dos anos 2000, supressão do amianto contido nos revestimentos de peças de desgaste.
  • 2004 – A Dacia Logan, produzida pela Renault, torna-se o carro low cost, por excelência quebrando recordes de vendas.
  • 2004 – O design do corpo inicia uma evolução, misturando géneros com a imagem de coupé de 4 portas e SUV.
  • 2007 – A crise financeira afeta fortemente a indústria automotiva. « Detroit Big Three » é particularmente afetado.
  • 2009 – O Venturi Buckeye Bullet 2 bate o recorde de velocidade da FIA para um veículo elétrico alimentado por uma célula de combustível: 487 km/h1. É o primeiro veículo elétrico a atravessar a marca simbólica de 480 km/h.
  • 2010 – Venturi Buckeye Bullet 2.5 é a evolução do Venturi Jamais Contente 2. A célula de combustível é substituída por uma bateria de iões de lítio e permite-lhe bater o seu próprio recorde FIA: 495 km/h e uma velocidade máxima oficial de 515 km/h.
  • 2015 – Os faróis passam a ser mais inteligentes, conseguindo dirigir a luz para onde é necessário e evitando que outros condutores sejam prejudicados. Estado: já disponível.
  • 2015 – Através de sensores em torno de todo o veículo, este será capaz de emitir um alerta, em caso de perigo, para que o condutor tenha uma reação. Estado: já disponível.
  • 2016 – As quatro rodas passam a virar em conjunto com o volante para facilitar as manobras e proporcionar uma maior estabilidade e aderência. Estado: já disponível.
  • 2017 – As câmaras dos carros vão conseguir gravar tudo o que se passa para que seja utilizado como prova em caso de acidentes. Estado: já disponível e utilizado, por exemplo, na Rússia.
  • 2019 – Tecnologia para todos e cada um aceder ao que quer. Os carros vão passar a ter ligações Wi-Fi e carregadores para vários dispositivos. Estado: já disponível.
  • 2020 – O painel de bordo vai passar a ter mais informação além do velocímetro e afins. Tudo o que seja relevante vai passar a aparecer nesta zona. Estado: já disponível.
  • 2020 – O ecrã do computador de bordo passará a ser maior, quase como um tablet. Assim, consegue-se ver mais informação de uma vez. O maior modelo atualmente é de 17 polegadas. Estado: já disponível.
  • 2020 – o automóvel de série Tuatara atingiu os 532,93 km/h, o novo recorde polémico e não oficial de velocidade para um carro de produção na via pública. O norte-americano bateu os recordes da milha voadora “flying mile” (402m de partida) e do quilómetro de partida lançado numa estrada pública, atingindo respectivamente 503,92 km/h e 517,16 km/h.

  • 2020 – As câmaras do carro vão servir também de sistema de vigilância para que possa ter sempre um olho no veículo através de uma aplicação para smartphone. Estado: já disponível.
  • 2020 – stacionar o carro com o smartphone, através de uma aplicação especifica. Estado: já disponível.
  • 2021 – O volante e os pedais vão passar a poder ser recolhidos, quando o carro estiver em piloto automático, Estado: depois de 2020.

  • 2021 – Se a explosão do veículo elétrico prometido por alguns ainda está à espera, a morte do gasóleo já começou. O ano de 2021 soará assim a morte do gasóleo para muitos modelos. E isto é só o começo… O gasóleo representa agora apenas 31% das vendas em 2020 (números entre Janeiro e Setembro). Um declínio que acelerará ainda mais em 2021, por várias razões.
  • 2021 – Nova norma a partir de 1 de Janeiro de 2021. A primeira é, naturalmente, a entrada em vigor do Euro 6 d.full standard de que temos vindo a falar há vários meses. Isto envolve modificações técnicas dispendiosas para os fabricantes para adaptar os motores. É muito mais caro despoluir um gasóleo do que um a gasolina. Em alguns segmentos, face aos baixos volumes de vendas, é, portanto, preferível remover este combustível. Este é particularmente o caso dos citadinos, onde um Polo o abandona, enquanto o novo Sandero já anunciou que só os sem chumbo teriam o direito de ser citados sob o seu capuz.
  • 2023 – Será possível trocar o touch pelo 3D. A informação irá surgir em forma de holograma para que possamos controlar tudo mais facilmente. Estado: Em testes. Disponível depois de 2020.
  • 2023 – Através de uma mensagem, o proprietário pode dar autorização a um amigo para utilizar o carro. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2023 – Os carregadores dos carros elétricos vão receber um upgrade e passar de 150 kW para 350 kW. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2023 – Controlar o carro através de uma aplicação. Poderá ser útil, por exemplo, quando o carro ficar preso numa situação perigosa para o condutor. Estado: disponível entre um a três anos.
  • 2023 – Os gestos vão ser a maneira de controlar grande parte da tecnologia do carro, sem precisar de tocar no ecrã. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2024 – Caixas de velocidade com 10 mudanças. Em carros maiores, a introdução de uma décima mudança vai permitir um consumo mais baixo. Estado: disponível brevemente.
  • 2024 – As assistentes virtuais vieram para ficar. Por isso, os carros vão acabar por ter um sistema semelhante. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – Os mapas em direto vão permitir ter uma visão geral de tudo o que se passa nas estradas, em tempo real e com animações a ilustrar o sucedido. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Com o aumento dos carros elétricos, as estradas vão começar a ter faixas capazes de carregar o automóvel em andamento. Estado: existem projetos-piloto em várias partes do mundo.
  • 2030 – Os carros vão estar ligados entre si para transmitirem informações relevantes, como acidentes, alguém que passou um semáforo vermelho, estradas cortadas, etc. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Os carros vão conseguir comunicar com os semáforos de forma a indicarem o tempo que falta até ficar verde. Assim, é possível chegar apenas quando estiver verde. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Ecrãs na traseira dos veículos longos que mostram a estrada para facilitar as ultrapassagens e mostrar os eventuais perigos que possam surgir. Estado: em testes, disponível dentro de um a três anos.

  • 2030 – Chega a casa, sai do carro e ele vai até à garagem e estaciona-se sozinho. Volatará até si quando o chamar novamente para ir a algum lado. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – Chega a casa, sai do carro e ele vai até à garagem e estaciona-se sozinho. Volatará até si quando o chamar novamente para ir a algum lado. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – O espelho retrovisor deixa de ser preciso e as câmaras em redor do carro passam a permitir uma visão 360º do que se passa à volta do veículo. Estado: disponível dentro de um a três anos.
close
Mantemos os seus dados privados mas não compartilhamos os seus dados com terceiros.
Leia a nossa política de privacidade. A GDPR amigável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ao continuar a navegar está a concordar com a utilização de cookies neste site. Para não autorizar a sua utilização, por favor utilize as opções do seu browser e altere as definições de cookies de acordo com estas instruções. Para mais informações, consulte a nossa Política de Proteção de Dados.
Mais Informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close