Cronologia do Automóvel História do Automóvel

Print Friendly, PDF & Email

A história do automóvel reflete o nascimento e evolução do automóvel, uma grande invenção tecnológica que mudou significativamente as sociedades em muitos países durante o século XX. Originou-se no século XIX durante a Revolução Industrial, quando a técnica deu orgulho ao motor a vapor como fonte de energia, e depois virou-se maciçamente para o petróleo e para o motor de explosão, com o motor elétrico como um concorrente há muito negligenciado.

O projeto de propulsão interna de Da Vinci.

O automóvel tem-se afirmado gradualmente nos países desenvolvidos como o principal meio de transporte para a circulação de indivíduos e mercadorias. A sua indústria tem sido um dos sectores mais importantes e influentes desde o início do século XX e o seu crescimento global tem sido espetacular: 250.000 automóveis foram contados em 1907 e 500.000 em 1914 com o aparecimento do Ford T, 50 milhões antes da Segunda Guerra Mundial. A frota triplicou durante os Trinta Gloriosos e atingiu 300 milhões de veículos em 1975. Em 2011, a produção automóvel anual global teria atingido 76 milhões de unidades.

Fim de Século XVI-inícios Século XVII

  • 1668 – Ferdinand Verbiest fabrica um veículo a motor, considerado mais como um brinquedo, que consiste de uma chaleira fixada em um pequeno forno e equipado com uma roda de pás, engrenagens e pequenas rodas.

Fim de Século XVII- inícios Século XVIII

  • 1769 – Joseph Cugnot apresenta o seu “fardier vapor”, um carrinho onde ele montou uma caldeira a vapor. Ele chegou a 4 km/h e tem uma autonomia de 15 minutos.

Fim de Século XVIII- inícios Século XIX

  • 1801 – LEBON: Inflamação de uma mistura combustível.
  • 1805 – Oliver Evans desenvolve “Oruktor amphibolos”, veículos a motor
    anfíbios para a cidade de Filadélfia.
  • 1825 – Invenção do Eletromagneto, por William Sturgeon.
  • 1831 – Faraday descobriu a indução eletromagnética.
  • 1832 – AMPERE: Primeiro magneto elétrico.
  • 1851 – Heinrich Daniel RHUMKORFF: Bobine a indução e vibrador para produzir a elevada tensão.
  • 1853 – FIZEAU: Contactos protegidos por condensador.
  • 1856 – 1862 HUGON (F), motor 2 tempos, ignição por bocal a de gás (Transferência de chama); Patente do 11.09.
  • 1858 – Construção de motores fixos.
  • 1860 – Étienne Lenoir patenteia o primeiro motor de combustão interna 2-tempos “a ar dilatado. Fabrica 400 motores deste tipo 1862 – Alphonse Beau de Rochas patenteia um motor a ciclo termodinâmico de motores 4-tempos: admissão, compressão, explosão, exaustão.
  • 1872 – Nikolaus Otto, Eugen Langen e Gottlieb Daimler fundaram a « Gasmotoren Fabrik Deutz AG ».
  • 1873 – Primeiro carro de 12 lugares, conhecido como “o obediente”, que realmente funciona. Desenhado por Amédée Bollée pai, ela é acionada por um motor a vapor e atinge uma velocidade máxima de 40 km/h.
  • 1878 – Amédée Bollée pai comercializa o primeiro carro fabricado em série chamado “a Mancelle”, ele também é acionado por um motor a vapor.
  • 1878 – SIEMENS: Magneto a rotor.
  • 1880 – 1884 Edouard DELAMARE- DEBOUTEVILLE: Conceção e realização de motores monocilíndricos 4 tempos alimentados a gás seguidamente a gasolina ligeira de petróleo (Desenvolvimento do motor moderno a 4 tempos e ignição elétrica).
  • 1881 – Amédée Bollée pai comercializa o primeiro carro a chegar a 60 km/h. Conhecido como “o rápido”, ele também é acionado por um motor de vapor.
  • 1882 – De Dion e Bouton fabricam os seus primeiros automóveis a vapor.
  • 1883 – Primeiro automóvel conduzido por um gás de combustão interna motor 4 tempos. Étienne Lenoir alcança o primeiro motor de 4-tempos baseado no princípio de Beau de Rochas e instala-o num automóvel que percorre 18 km de Paris a Joinville em três horas.
  • 1883 – DAIMLER: Motor a gás vertical fixo 4 tempos a queimador.
  • 1884 – Primeiro automóvel movido por um motor a petróleo de 4-tempos patenteado por Édouard Delamare-Deboutteville e Léon Malandin.
  • 1884 – Triciclo de BUTLER: Motor 2 cil 2 tempos 422 cm3 (57×207), 100 tr/mn, 20 km/h; Ignição por pilha-bobine (Faísca entre contacto e pistão).
  • 1885 – 1902 Queimador.
  • 1886 – ROBERT BOSCH (RFA); Primeira agência comercial em Paris em 1899, seguidamente atelier de fabrico de magnetos em 1903.
  • 1887 – Magneto baixa tensão para ignição dos motores construídos por Robert BOSCH; adoptado por Daimler-Benz e Merecedes em 1897, (10.000 magnetos construídos em 1901); representação na Inglaterra, França e Bélgica; 2.000.000 de magnetos produzidos em 1914 (88% no estrangeiro), 4.000.000 em 1929.
  • 1888 – Dunlop inventou os modernos pneus infláveis.
  • 1889 – Panhard et Levassor instalar um motor a quatro tempos em um carro de quatro lugares.
  • 1890 – Primeiro magneto Alta Tensão de BOUDEVILLE (França).
  • 1894 – De Dion-Bouton venceu a corrida Paris-Rouen 22 de julho com um tractor rodoviário acoplado a um carro.
  • 1895 — A Fundação de Automobile Club de France.
  • 1895 – 1905 Ruptor (Bobine vibrador).
  • 1895 – Triciclos fabrico em serie de Dion-Bouton a gasolina.
  • 1895 – 1905 Ruptor (Bobine vibrador).
  • 1895 – DE DION-BOUTON: Motor a desencadeamento mecânico da ignição (À origem dos distribuidores a ruptor). Magneto a faíscas diretas de BOUTTEVILLE.
  • 1896 Sociedade suíça Zürcher-Luthi (ZL, Neufchâtel); fabrico de motores e de velas de ignições; automóveis ZEDEL em 1904.
  • 1896 – Sociedade suíça Zürcher-Luthi (ZL, Neufchâtel); fabrico de motores e de velas de ignições; automóveis ZEDEL em 1904.
  • 1897 – DAIMLER-BENZ adota o magneto baixa tensão NMZ BOSCH.
  • 1898 – Louis Renault (industrial) Louis Renault]] constroi apenas seu primeiro carro em Boulogne-Billancourt.
  • 1898 – Avanço automático WINTON.
  • 1898 – Primeiro salon do automóvel no Parque de Tuileries em Paris
  • 1899 – Sr. EYQUEM, fabricante de acessórios para o automóvel (iluminação e escovas limpa vidros), começa o fabrico de velas de ignição.
  • 1899 – Introdução 10 de março do certificado de competência válida para a condução de veículos a motor.
  • 1899 – O belga Camille Jenatzy excede o primeiro a 100 km/h na “Jammais Contente”, um veículo elétrico em forma de uma concha.
  • 1900 – Primeira edição do automóvel Coupe Gordon Bennett até 1905 será um evento de automobilismo emergentes.
  • 1900 – De Dion-Bouton é o maior fabricante de automóveis do mundo,
    com 400 automóveis e motores de 3 200.
  • 1900 – Primeiro Congresso Internacional do automóvel.
  • 1900 – Magneto THT (Muito Alta Tensão) a ignição de BOUDEVILLE. Magneto SIEMENS-BOSCH a induzido rotativo.

Fim de Século XIX- inícios Século XX

  • 1901 – Apresentação do primeiro automóvel de série americana: o Oldsmobile curvo Dash.
  • 1901 – Vela desmontável CAMPEÃO a 4 elétrodos de massa.
  • 1902 – Magneto elevada tensão HMZ BOSCH construída por Gottlob Honold.
  • 1902 – Travões a disco patenteados por F.W. Lanschester (G. – B.).
  • 1903 – Travão sobre rodas dianteiras (VAN HOOYDONK)
  • 1903 – Primeiro motor OHV instalado sobre o Buick.
  • 1903 – Léon Serpollet é a condução de um automóvel vapor para 120,8 km / h.
  • 1903 – 1906 – Construção do primeiro carro a óleo de Henry Ford: Ford modelo A.
  • 1904 – 1930 Magneto.
  • 1904 – Primeiro automóvel a petróleo guarnecido de travões (a ar comprimido) sobre as 4 rodas (automóvel Charley sobre chassis Mercedes).
  • 1904 – 1946 Velas BOSCH, EYQUEM, SEV MARCHAL, RENAULT na Europa; CHAMPION e AC DELCO nos EUA.
  • 1904 – Pierre BOSSU realiza uma dínamo que assegura o arranque, a iluminação e a ignição. Ignição mista por magneto e vela sobre RENAULT 20 CAVALOS-FORÇA; no caso de avaria, um dispositivo de socorro utiliza pilhas e bobines a vibrador sobre os mesmos fios.
  • 1908 – Henry Ford à frente da Ford Motor Company lançou o Ford T. considerada-se ser o primeiro carro acessível ao maior número. O primeiro verdadeiro automóvel fabricado em larga escala (Fordismo).
  • 1909 Motor WELCH 6 cilindros 75 CV a dupla ignição.1910 – Sistema centrífugo: Correção do ponto de avanço em relação ao P.M.S. em função do regime a motor.

De 1910 a 1940

  • 1910 – Patente do travão hidráulico (WEIGHT)
  • 1910 – Barney Oldfield acima 210 km/h no seu Blitzen Benz.
  • 1912 – Travão de mão sobre Isetta Fraschini.
  • 1913 – Início da produção em série Ford t em Higland Park.
  • 1913 – Estudo da dupla ignição por ALFA ROMEO.
  • 1913 – Ignição por bateria e bobine a indução DELCOREMY (Dayton Engenharia Laboratories Company, DELCo, EUA, Ohio. Retoma do método Lenoir.
  • 1914 – Primeiro Volante magnético (Magneto no volante motor).
  • 1914 – Requisição de todos os táxis paris para participação na primeira batalha da Marne. Táxis são agora conhecidos como “os táxis da Marne”.
  • 1915 – Isolação em mica sobre as velas CHAMPION (Irmãos Jeffery). Regresso da ignição por bateria (Equipamento dos veículos com baterias de acumuladores por DELCO da Dayton Engenharia Laboratories Company).
  • 1916 – Conjunto gerador magneto-alternador-retificador PARIS-RHÔNE: utilização de uma válvula eletrolítica (antepassado do díodo retificador).
  • 1917 – Fundação da empresa Lincoln (automóveis) Lincoln]] por Henry M. Leland.
  • 1917 – Vela EYQUEM sobre tanque RENAULT.
  • 1919 – HISPANO SUIZA H6 32 CV: 6 cilindros, 6595 cm3, 125 ch a 2800 tr/mn; Motor derivado de um motor de avião, dupla ignição (2 velas/cil).
  • 1919 – Primeiro travão a comando hidráulico: Lockheed.
  • 1919 – André Citroën introduziu a produção em massa em França, cerca de 100 carros por dia.
  • 1920 – 1992 Isqueiro.
  • 1920 – Ignição por bateria BOSCH. Ignição à quitação capacitiva. Ignição de alta frequência.
  • 1921 – Depósito da patente servo-freio por Renault
  • 1922 – Nascença da carta de condução, que substitui o certificado de capacidade válido para a condução dos veículos.
  • 1923 – DUCELLIER compra o fabricante de magnetos suíço ZÉNITE.
  • 1923 – Chegada a Tombuctu das Citroën semi-lagartas (Citroën Kegresse) após a travessia do deserto do Saará.
  • 1923 – A 1ª edição do Le Mans 24 Horas é ganha por um Chenard e Walcker Sport 3L I4
  • 1924 – As sociedades SEV (1912) e Marchal (1923) associam-se para formar SEV MARCHAL. CITROEN adopta a ignição DELCO globalmente.
  • 1925 – Ignição a lâmpada a 3 eléctrodos por Joseph Béthenod (BOSCH).
  • 1926 – Os travões a tambores Adoção universal após 1926
  • 1929 – Crash da bolsa, o “.”Quinta-feira negra “, leva o mundo para uma recessão profunda. A produção de automóveis está em queda livre.
  • 1930 – Início da expedição em semi-lagarta Citroen, cruzeiro amarelo, suposta percorrer 30 000 km entre Beirute e Pequim.
  • 1931 – Invenção do anti-roubo neiman  por Abram Neiman.
  • 1932 – CHAMPION: nova vela, forma única do seu isolador. ” Velas KLG, montem-as, esqueçam-as! “. KLG K1, para qualquer automóvel normal, opõe-se ao calor e à carbonização, uso 8 à 10 vezes mais longo que qualquer outra vela.
  • 1933-1934 – André Lefèbvre propõe o conceito de tração dianteira a Louis Renault, que recusa. André Citroen aceitou-o e desenvolveu-o com a Citroen Traction Avant.
  • 1936 Sistema de avanço a depressão BOSCH.
  • 1934 – O Chrysler Airflow é o primeiro automóvel de massa receber um design aerodinâmico, inscrevendo-se no curso de pensamento estilo (Streamline moderne).
  • 1936 – Sistema de avanço a depressão BOSCH.
  • 1938 – Dispositivo de avanço sob volante Speed do Estabelicimentoss P. BRISSONET.
  • Vela CHAMPION a isolador silimanite, selagem especial que permite as dilatações desiguais do isolador e do elétrodo central.
  • Bobine de ignição FERRIX.
  • Vela GERGOVIA, ” a vela que dura”.
  • Vela esteatite, elétrodos normais ou platina iridiado e vela mica a elétrodos normais ou platina, montagem diatérmica.
  • Vela KLG L 39: ” pode-se imitar a sua aparência, não se pode copiar a sua qualidade, a melhor vela do mundo”.
  • Vela MARCHAL.
  • Vela PINGEOT a elétrodo de platina iridiado e isolador mica.
  • Magnetos RB.
  • 1942 – Teste de estrada com o primeiro protótipo da Renault 4CV.
  • 1945 – aumento da produção do mundo automóvel que tripla durante as Trinta Gloriosas e passa de 10 milhões para 30 milhões de carros.
  • 1946 – 10 000 primeiro Fusca baseia-se na Alemanha.
  • 1949 – Ferrari 166 MM, competição automóvel, ganha as 24 horas de le Mans como Ferrari 166 S se torna a primeira Ferrari do turismo, produzido nas fábricas de Maranello.
  • 1949 – Porsche 356 Porsche é o international motor show de Genebra.
  • 1953 – Aparecimento do travão a disco (lançado em série sobre o DS 19 CITROEN em 1955).
  • 1954 – Utilização dos semicondutores; Ignição com bateria de acumuladores ou volante magnético (NOVI-PB).
  • 1953 – O Chevrolet Corvette é considerado o primeiro carro esportivo americano.
  • 1954 – O Mercedes 300 SL, que inova com a ‘borboleta’, abrindo suas portas, deslumbra lounge em Nova York e tornou-se emblemática da década de 1950.
  • 1954 – Utilização dos semicondutores; Ignição com bateria de acumuladores ou volante magnético (NOVI-PB).
  • 1955 – Primeira patente para ignição electrónica NOVI, montada sobre Motobécane.
  • 1956 – Nacionalisacao pelo general Nasser, subir os preços de combustível.
  • 1957 – Obrigação legal de cabos de ignição anti-parasitados.
  • 1960 – Ignição eletrónica BOSCH, sobre os automóveis de corrida: ignição transistorizada (TSZ), descarga de condensador (HKZ). Cabos de ignição BOUGICORD (Electricfil): aprovação da ORTF, (Organismo Radio Televisão Francesa: não provoca parasitas nos recetores de televisão) homologado por Citroen, Panhard, Peugeot e Renault, Simca.
  • 1962 – Primeiro mid instalado sobre o René Bonnet Djet.
  • 1962 – Vela AC Fire Ring a elétrodo central canelado para facilitar a erupção da  faísca. Gerador de impulsos DELCOREMY. Ignição a  desencadeamento ótico DUCELLIER (fotodiodo, lâmpada naveta 12 V-7 W e tambor furado, oscilador 12/220 V, condensador, díodo de descarga Thyratron e de bobine especial, amplificador a 2 andares.
  • 1963 – Lançamento da marca de velas AUTOLITE de Ford Inglaterra (produção anual projetada a 2.000.000 exemplares). Vela BOSCH a elétrodos de platina montada sobre MERCEDES 220 SEb e 300 SE (05). Ignição por bateria sem distribuidor sobre PANHARD DB 2 cilindros (Competicão): ignição a duas velas ´ por cilindro, bobines independentes comandados por interruptores distintos. Ignição eletrónica PRESTOLITE Transigniter 201: dispositivo só um transístor, circuito de assistência tomando em carga o comando em potência, ruptor clássico (fraca corrente não selfica). Osciloscópio SOURIAU 1131 e 1132, captor de pinça e de sonda H.T (Alta Tensão).
  • 1964 Vela BOSCH Platina.
  • 1964 – Vela BOSCH Platina.
  • 1965 – SIMCA o Brasil é o primeiro construtor que monta uma ignição transistorisada sobre a totalidade da sua produção.
  • 1967 – Ignição sem contacto LUCAS Opus sobre o automóvel de Jack Brabham: Oscillating Pick-Up System (sistema a pick-up oscilante), ignição sem contacto que pode produzir até à 600 faíscas por segundo (18.000 tr/mn sobre um motor 4 cilindros).
  • 1970 – Bobine seca DELCOREMY Inductron, primeira bobine de ignição compacta de alto rendimento. Fabrico de distribuidores PARIS-RHÔNE, sob a presidência de Pierre Cibié (aproximação de Paris-Rhône e Cibié).
  • 1972 – Ignição eletrónica CHRYSLER Internacional: Equipamento de toda a produção CHRYSLER EUA incluindo os camiões. Ignição transístorisada DUCELLIER: sistema Dwell Incorporar, adaptável à maior parte dos veículos correntes. Ignição eletrónica DUCELLIER para Matra Simca Desporto Proto 670 (V12 3l, 10.500 tr/mn) ou F1 (11.800 tr/mn): só uma bobine, comando eletrónico, recarrega da bobine logo que a sua energia não permita mais de manter a faísca precedente (Sistema Dwell Incorporado). Limitador de regime eletrónico DUCELLIER sobre Matra Simca Desporto Proto 670 ou F1: regulação a elevada precisão + 20 tr/mn, por supressão de certo número de faíscas, de maneira errática (não afetando por conseguinte sempre os mesmos cilindros), restituição com um atraso da ordem de 300 tr/mn.
  • 1973 – O primeiro choque do petróleo perturba o automóvel.
  • 1973 – Invenção do ABS por Bosch.
  • 1974 – O Volkswagen Golf, desenhado por Italdesign,, é um sucesso por suas formas “atraente e funcional”.
  • 1974 – Vela CHAMPION a sede cónica sem junta sobre Peugeot 104.
  • 1975 – Avanço a ignição ” eletrónico”. Ignição a efeito Hall (BOSCH TSZ-h).
  • 1976 – HONDA 400 N.
  • 1978 – Ignição transistorisado híbrido. Criação de RENIX (Renault- Bendix); abertura do sítio de produção RENIX em Toulouse (França) em 1979, seguidamente Boussens em 1983 e Foix em 1985. Ignição-injeção eletrónica de NOVI, montado sobre Motobécane.
  • 1979 – Distribuição “electrónica” Controlo de ignição digital (MOTRONIC).
  • 1979 – O sector automóvel está novamente em crise na sequência do segundo choque petrolífero.
  • 1980 – Ignição RENIX completa no RENAULT 20 TS. RENIX para RENAULT 18 Turbo: Escraviza o avanço da ignição a um detetor de ruido.
  • 1982 – Ignição electrónica completa (RENIX, AEI, BOSCH VZ). Ignição por infravermelhos Lumenition no Ralt F3, sensor na parte da frente do motor. IGNIÇÕES SEV MARCHAL Medoc e Brandy (Módulo transistorizado Medoc juntamente com uma bobina cognac de alto desempenho).
  • 1985 – Renix passa a ser BENDIX ELECTRONICS (1985-1988); SIEMENS BENDIX AUTOMOTIVE ELECTRONICS EM 1988. Ignição completa SAAB MECEL.
  • 1989 Criação da SIEMENS AUTOMOTIVE SA.

Fim do século XX – Início do Século XXI

  • 1990 – Ignição electrónica BOSCH EZ 115K no Peugeot 505.
  • 1990 – Apresentação do primeiro sistema de navegação GPS embarcado.
  • 1991 – Gestão completa do motor com ignição direta (12 bobinas) no AUDI Avus Quattro (W12 6000 cm3, 509 cv).
  • 1991 Gestão completa do motor com ignição direta (12 bobinas) no AUDI Avus Quattro (W12 6000 cm3, 509 cv).
  • 1993 – Vela BERU de 1993 com faísca escorregadia. Gestão de tração integral/injeção MERCEDES HFM desenvolvido para a nova gama C (ignição estática 3 bobinas, uma para 2 cilindros).
  • 1997-2000 – Primeiros carros elétricos híbridos, com o Toyota Prius como embaixador.
  • 2000 – A partir dos anos 2000, supressão do amianto contido nos revestimentos de peças de desgaste.
  • 2004 – A Dacia Logan, produzida pela Renault, torna-se o carro low cost, por excelência quebrando recordes de vendas.
  • 2004 – O design do corpo inicia uma evolução, misturando géneros com a imagem de coupé de 4 portas e SUV.
  • 2007 – A crise financeira afeta fortemente a indústria automotiva. « Detroit Big Three » é particularmente afetado.
  • 2009 – O Venturi Buckeye Bullet 2 bate o recorde de velocidade da FIA para um veículo elétrico alimentado por uma célula de combustível: 487 km/h1. É o primeiro veículo elétrico a atravessar a marca simbólica de 480 km/h.
  • 2010 – Venturi Buckeye Bullet 2.5 é a evolução do Venturi Jamais Contente 2. A célula de combustível é substituída por uma bateria de iões de lítio e permite-lhe bater o seu próprio recorde FIA: 495 km/h e uma velocidade máxima oficial de 515 km/h.
  • 2015 – Os faróis passam a ser mais inteligentes, conseguindo dirigir a luz para onde é necessário e evitando que outros condutores sejam prejudicados. Estado: já disponível.
  • 2015 – Através de sensores em torno de todo o veículo, este será capaz de emitir um alerta, em caso de perigo, para que o condutor tenha uma reação. Estado: já disponível.
  • 2016 – As quatro rodas passam a virar em conjunto com o volante para facilitar as manobras e proporcionar uma maior estabilidade e aderência. Estado: já disponível.
  • 2017 – As câmaras dos carros vão conseguir gravar tudo o que se passa para que seja utilizado como prova em caso de acidentes. Estado: já disponível e utilizado, por exemplo, na Rússia.
  • 2019 – Tecnologia para todos e cada um aceder ao que quer. Os carros vão passar a ter ligações Wi-Fi e carregadores para vários dispositivos. Estado: já disponível.
  • 2020 – O painel de bordo vai passar a ter mais informação além do velocímetro e afins. Tudo o que seja relevante vai passar a aparecer nesta zona. Estado: já disponível.
  • 2020 – O ecrã do computador de bordo passará a ser maior, quase como um tablet. Assim, consegue-se ver mais informação de uma vez. O maior modelo atualmente é de 17 polegadas. Estado: já disponível.
  • 2020 – o automóvel de série Tuatara atingiu os 532,93 km/h, o novo recorde polémico e não oficial de velocidade para um carro de produção na via pública. O norte-americano bateu os recordes da milha voadora “flying mile” (402m de partida) e do quilómetro de partida lançado numa estrada pública, atingindo respectivamente 503,92 km/h e 517,16 km/h.

  • 2020 – As câmaras do carro vão servir também de sistema de vigilância para que possa ter sempre um olho no veículo através de uma aplicação para smartphone. Estado: já disponível.
  • 2020 – stacionar o carro com o smartphone, através de uma aplicação especifica. Estado: já disponível.
  • 2021 – O volante e os pedais vão passar a poder ser recolhidos, quando o carro estiver em piloto automático, Estado: depois de 2020.

  • 2021 – Se a explosão do veículo elétrico prometido por alguns ainda está à espera, a morte do gasóleo já começou. O ano de 2021 soará assim a morte do gasóleo para muitos modelos. E isto é só o começo… O gasóleo representa agora apenas 31% das vendas em 2020 (números entre Janeiro e Setembro). Um declínio que acelerará ainda mais em 2021, por várias razões.
  • 2021 – Nova norma a partir de 1 de Janeiro de 2021. A primeira é, naturalmente, a entrada em vigor do Euro 6 d.full standard de que temos vindo a falar há vários meses. Isto envolve modificações técnicas dispendiosas para os fabricantes para adaptar os motores. É muito mais caro despoluir um gasóleo do que um a gasolina. Em alguns segmentos, face aos baixos volumes de vendas, é, portanto, preferível remover este combustível. Este é particularmente o caso dos citadinos, onde um Polo o abandona, enquanto o novo Sandero já anunciou que só os sem chumbo teriam o direito de ser citados sob o seu capuz.
  • 2023 – Será possível trocar o touch pelo 3D. A informação irá surgir em forma de holograma para que possamos controlar tudo mais facilmente. Estado: Em testes. Disponível depois de 2020.
  • 2023 – Através de uma mensagem, o proprietário pode dar autorização a um amigo para utilizar o carro. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2023 – Os carregadores dos carros elétricos vão receber um upgrade e passar de 150 kW para 350 kW. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2023 – Controlar o carro através de uma aplicação. Poderá ser útil, por exemplo, quando o carro ficar preso numa situação perigosa para o condutor. Estado: disponível entre um a três anos.
  • 2023 – Os gestos vão ser a maneira de controlar grande parte da tecnologia do carro, sem precisar de tocar no ecrã. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2024 – Caixas de velocidade com 10 mudanças. Em carros maiores, a introdução de uma décima mudança vai permitir um consumo mais baixo. Estado: disponível brevemente.
  • 2024 – As assistentes virtuais vieram para ficar. Por isso, os carros vão acabar por ter um sistema semelhante. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – Os mapas em direto vão permitir ter uma visão geral de tudo o que se passa nas estradas, em tempo real e com animações a ilustrar o sucedido. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Com o aumento dos carros elétricos, as estradas vão começar a ter faixas capazes de carregar o automóvel em andamento. Estado: existem projetos-piloto em várias partes do mundo.
  • 2030 – Os carros vão estar ligados entre si para transmitirem informações relevantes, como acidentes, alguém que passou um semáforo vermelho, estradas cortadas, etc. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Os carros vão conseguir comunicar com os semáforos de forma a indicarem o tempo que falta até ficar verde. Assim, é possível chegar apenas quando estiver verde. Estado: disponível depois de 2020.
  • 2030 – Ecrãs na traseira dos veículos longos que mostram a estrada para facilitar as ultrapassagens e mostrar os eventuais perigos que possam surgir. Estado: em testes, disponível dentro de um a três anos.

  • 2030 – Chega a casa, sai do carro e ele vai até à garagem e estaciona-se sozinho. Volatará até si quando o chamar novamente para ir a algum lado. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – Chega a casa, sai do carro e ele vai até à garagem e estaciona-se sozinho. Volatará até si quando o chamar novamente para ir a algum lado. Estado: disponível dentro de um a três anos.
  • 2030 – O espelho retrovisor deixa de ser preciso e as câmaras em redor do carro passam a permitir uma visão 360º do que se passa à volta do veículo. Estado: disponível dentro de um a três anos.
close
Mantemos os seus dados privados mas não compartilhamos os seus dados com terceiros.
Leia a nossa política de privacidade. A GDPR amigável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.