3500 A-C A roda

 A Roda é um órgão ou peça mecânica de forma circular que gira ao redor de um eixo que passa pelo seu centro. Esta invenção muito antiga constitui um dos fundamentos das nossas tecnologias dos transportes. Permite deslocar sobre terra cargas importantes, reduzindo as forças de fricção. É indispensável na maior parte dos meios de transporte terrestres.

Uma roda é dita Roda dentada quando transmite o movimento por obstáculo a outras peças por meio de dentes que equipam-o sobre a sua circunferência. Fala-se de engrenagem para um sistema que utiliza várias rodas deste tipo, o nome de pinhão dado aos mais pequenos entre elas.

As rodas livres ou loucas (que não transmitem energia) têm por função a orientação e o apoio de uma carga (roda de reboque ou roda diretora de veículo). Existe um dispositivo mecânico chamado Roda livre cujo papel é de proibir a rotação de um eixo em um dos dois sentidos; exemplo Polia de alternador.

Situa-se geralmente a invenção da roda cerca de 3500 A-C na Suméria baixa Mesopotâmia. O seu uso é desconhecido na América pré colombiana, embora se reencontraram objetos de pedra na forma de roda e considerados brinquedos (datados de 1500 anos A-C) mas não engenhos que utilizam a roda. Este paradoxo é retido como exemplo por Alain Gras para ilustrar a recusa de compromisso em trajetórias tecnológicas dadas embora acessíveis em termos de viabilidade.

A roda era igualmente desconhecida na África subsariana, a América Latina (as civilizações Inca, Maya…) e em Oceania até a uma época recente. Conjuntamente, o pote de Bronocice, encontrado na Polónia, apresenta um pictograma gravado que parece ser a representação de um carro. Considera-se a sua fixação de datas a 3500 A-C, o que permite pôr em dúvida a origem suméria da roda, ou pelo menos que o seu primeiro aparecimento foi efetuado em 3500 antes de Cristo na Suméria.

As primeiras rodas eram cheias, em pedra de uma só peça, ou em madeiras frequentemente constituídas de de três ou quatro peças montadas. As rodas a raios e de jantes, mais ligeiras, teriam aparecido cerca de 2000 anos A-C. Estas rodas eram inicialmente solidárias do eixo, este que constitui então um eixo que liga duas rodas situadas de parte e outra da caixa. Para reduzir a fricção entre o eixo e o chassis que descansa sobre ele, diversos métodos foram desenvolvidos, buracos dos quais nomeadamente numa prancha que serve de membrura, este buraco equipado de rolos lubrificados com óleo (o antepassado do rolamento a esferas).

Atualmente as rodas são montadas sobre o seu eixo com a ajuda de rolamentos a esferas ou de rolos, ou de troços hidrodinâmicos. Estes asseguram uma rota mecânica fiável, com um mínimo de fricções. A roda com um giroscópio integrado foi inventada pela sociedade Gyrobike. A notar que John Keogh de Hawthorn, Estado de Victoria, na Austrália, patenteou a roda em 2001. O que lhe valeu um prémio Nobel de Tecnologia, igualmente concedido ao Escritório australiano das patentes que lhe atribuiu a patente de inovação número 2001100012.